IMPRENSA

Conheça o médico que levou Arimatéia Azevedo à prisão

Profissional respondeu processo por erro médico e alega que estava sendo chantageado pelo jornalista do Portal AZ

15/06/2020 07h01Atualizado há 2 semanas
Por: Redação
74
Arimatéia Azevedo e o médico que o acusa, Alexandre Andrade
Arimatéia Azevedo e o médico que o acusa, Alexandre Andrade

Alexandre Andrade Souza, médico, cirurgião plástico, foi autor da denúncia que resultou na prisão do jornalista Arimatéia Azevedo.

Alega que estava sendo chantageado pelo jornalista desde janeiro quando sofreu processo por erro médico no Distrito Federal.

O médico afirma que por conta da repercussão das matérias negativas contra sua atuação profissional poderia ser prejudicado e perder clientela, sendo que sua reputação seria afetada de forma permanente.

Ele teria feito uma operação na paciente Emanuela Dourado Rebelo Ferraz e esquecido uma gaze dentro do seio da mesma.

A paciente Emanuela Ferraz processou Alexandre pedindo R$ 150 mil

A mulher ingressou na justiça pedindo indenização de R$ 150 mil. Os dois firmaram acordo em R$ 90 mil. O processo foi extinto.

Em Teresina, Azevedo fez a denúncia no portal AZ, de sua propriedade, onde mantém coluna diária.

O médico disse que depois da matéria o jornalista passou a fazer chantagem contra ele pedindo dinheiro para silenciar.

O caso foi resolvido, segundo Alexandre, com pagamento de R$ 20 mil. Ele apresenta como provas supostas conversas por WhatsApp com Arimatéia e a lista de frequência do seu consultório, que registra a presença do professor universitário Francisco de Assis Barreto.

Barreto seria elo entre Arimatéia e Alexandre. Teria sido escalado para receber o pagamento em nome do jornalista.

Arimatéia e o professor Barreto continuam presos. Barreto havia ingressado com habeas corpus alegando idade avançada (69 anos) e problemas de saúde.

O desembargador Joaquim Dias de Santana Filho negou o pedido. O magistrado alegou que deve preponderar a garantia da ordem pública. O caso deve ser analisado pela 2ª Câmara Especializada Criminal do TJPI — Tribunal de Justiça do Estado do Piauí.

O espaçodo site está à disposição daqueles que queiram se manifestar sobre o conteúdo desta matéria. Enviar para [email protected] ou WhatsApp (86) 99979 7842. Informamos antecipadamente que não precisa pagar nada. (Toni Rodrigues)

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias