COVID 19

Ministério da Saúde tenta ocultar 170 mortes nas últimas 24 horas

Dados das secretarias estaduais de Saúde divergem daqueles que estão sendo divulgados pelo Governo federal

08/06/2020 20h35
Por: Redação
22
Números de casos omitidos, no total, chega a 3.475, segundo consórcio (Foto/Reprodução)
Números de casos omitidos, no total, chega a 3.475, segundo consórcio (Foto/Reprodução)

O governo federal voltou a divulgar em horário razoável os casos de Covid 19 em todo o país, mas existe discrepância em relação aos dados divulgados pelos secretários estaduais de Saúde.

Os secretários decidiram montar um esquema paralelo para divulgação dos dados depois que o Ministério da Saúde começou, na semana passada, a negligenciar informações.

Os veículos de comunicação, por sua vez, formaram um consórcio para garantir maior credibilidade nas informações divulgadas, por entenderem que assim se pode estimular a população a adotar medidas preventivas e ao próprio governo a ter conhecimento sobre locais de maiores índices de propagação da pandemia.

Segundo informações deste consórcio, formado G1, O Globo, Extra, Estadão, Folha e UOL, nesta segunda-feira (08) foram registrados 849 mortes em 24 horas, conforme o levantamento feito junto às secretarias estaduais de Saúde.

Os casos novos de infecção nas últimas 24 horas, de acordo com o consórcio, foram 19.631. No acumulado, conforme esses dados, o país registrou 37.312 mortes e 710.887 casos confirmados.

A diferença em relação aos números do Ministério da Saúde é considerável. O Ministério computou 679 mortes e 15.654 novos casos de Covid-19. No acumulado, são 37.134 mortes e 707.412 casos confirmados.

A diferença é flagrante. Os dados estaduais indicam que foram 170 mortes a mais do que as contabilizadas pelo governo federal. Os novos casos totalizam 3.977 a mais do que os dados informados pelo Ministério da Saúde. 

As mortes acumuladas também estão sendo omitidas, de acordo com a estatística do consórcio de imprensa. São 178 a mais e também existem desencontros nos dados totais. Seriam, a mais, 3.475 casos em relação aos divulgados pelo governo federal. 

O novo método é amparado pelo confronto entre o presidente Jair Bolsonaro e os veículos de comunicação, que, a propósito, já se afastaram da cobertura diária no Palácio do Planalto alegando ameaças de agressão por parte de seguidores de Bolsonaro e que seriam instigadas pelo próprio presidente.

Na semana passada ele disse que tinha acabado a farra noticiosa do Jornal Nacional em relação aos dados do Covid 19 e chamou a Rede Globo de Tv Funerária, o que vem sendo replicados pelos bolsonaristas, nas redes sociais, pelo Brasil afora (e adentro). (Toni Rodrigues)

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias