MEMÓRIA POLÍTICA

A história do jovem militar assassinado pelo grupo de Dilma Roussef

Mário Kozel Filho estava de guarda e movido pelo dever se aproximou em busca de informações, foi seu último ato

30/05/2020 17h08Atualizado há 1 mês
Por: Redação
65
Mário Kozel estava de guarda na noite do atentado (Foto/Reprodução)
Mário Kozel estava de guarda na noite do atentado (Foto/Reprodução)

Muito se fala sobre a participação da ex-presidente Dilma Roussef (PT) na luta armada e que um jovem teria sido assassinado pelo grupo terrorista do qual ela fazia parte.

No vídeo abaixo, você confere a história completa do soldado do Exército Mário Kozel Filho, cuja vida seguia em ascensão até o momento em que seu caminho cruzou com a guerrilha urbana.

Ele foi morto tragicamente sem direito a nenhuma página nos livros da história brasileira, pelo contrário, a grande maioria dos historiadores faz questão de negar a sua existência.

Quem sabe para proteger os seus assassinos, quem sabe para agredir a memória da própria vítima, ou ainda para atacar a imagem das Forças Armadas, mas Kozel Filho existe e foi morto de maneira trágica por uma explosão.

Naquela noite ele estava de guarda diante do quartel e estranhou a presença daquele estranho elemento numa cena urbana inusitada, a madrugada geralmente era calma e silenciosa e nada indicava que ali poderia estar a fatalidade extrema.

Mas estava, e Kozel se aproximou movido pelo dever, ele tinha que saber do que se tratava e afugentar qualquer possibilidade de ataque, a ameaça menor que fosse, só que esta ameaça se voltou contra sua própria vida. (TR)

Acesse vídeo abaixo:

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias